Benefícios da aplicação de toxina botulínica associada à fonoterapia em pacientes disfágicos graves

Fernanda Teixeira Menezes; Katia Alonso Rodrigues; Isabella Christina de Oliveira Neto; Brasília Maria Chiari; Dayse Manrique; Maria Inês Rebelo Gonçalves

Rev. soc. bras. fonoaudiol. vol.17 no.2 São Paulo Apr./June 2012

RESUMO

Estudo de casos para caracterizar os benefícios da aplicação de toxina botulínica em glândulas salivares, associada à fonoterapia em pacientes disfágicos graves. Foram analisados cinco prontuários de pacientes neurológicos, em uso exclusivo de via alternativa de alimentação, com idades entre 17 e 70 anos, sendo quatro do gênero masculino e um do gênero feminino. Do total, quatro pacientes eram traqueostomizados. Foi considerado como critério de inclusão apresentar disfagia grave, com manifestações clínicas de escape extra oral e/ou acúmulo de saliva em cavidade oral e aspiração traqueal maciça de saliva, com limitação da fonoterapia. Quanto à avaliação clínica da deglutição, foram coletados dados pré e pós-fonoterapia associada à aplicação de toxina botulínica, quanto aos seguintes aspectos: mobilidade e força das estruturas orofaríngeas (lábios, língua, bochechas), elevação laríngea, grau da disfagia, uso de via alternativa de alimentação e traqueostomia. Quanto aos resultados pós- fonoterapia foi observado, em quatro pacientes, melhora da mobilidade e força de lábios, língua, bochechas e laringe. Quatro pacientes apresentaram deglutição funcional e um teve modificação do grau de gravidade da disfagia. Desta forma, a maioria foi capaz de receber dieta exclusiva por via oral e apenas um permaneceu com dieta mista, ou seja, gastrostomia e dieta via oral na consistência pastosa. Todos os pacientes traqueostomizados tiveram a cânula de traqueostomia removida. O estudo mostrou que o tratamento descrito acima contribui para a reabilitação da deglutição, reintrodução de alimentos por via oral e retirada da cânula de traqueostomia.

Descritores: Transtornos de deglutição/reabilitação; Toxinas botulínicas tipo A/uso terapêutico; Saliva/efeitos de drogas; Glândulas salivares; Estudos de casos

LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s