Incidëncia de Disfagia em Unidade de Terapia Intensiva de Adultos

Alba Maria Soares Moraes, Weliana de Jesus Pereira Coelho, George Castro, Kátia Nemr

Rev CEFAC, São Paulo, v.8, n.2, 171-7, abr-jun, 2006

RESUMO
Objetivo: verificar a incidência e o grau de disfagia orofaríngea em indivíduos internados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e Semi-Intensiva, correlacionando os achados com a doença de base. Métodos: nesse estudo foram avaliados 25 pacientes da UTI e Semi-UTI do Hospital Centro Médico Maranhense. Os dados foram colhidos por meio de um protocolo de avaliação fonoaudiológica. Resultados: dos 25 pacientes avaliados 18 (74%) apresentaram disfagia orofaríngea, sendo que 11 (61%) tiveram como doença de base lesão neurológica, e 7 (39%) tiveram como doença de base acometimentos não neurológicos. Houve associação significante entre a presença de disfagia e doença de base neurológica. Dos 18 pacientes disfágicos, 8 (45%) apresentaram disfagia de grau leve, 4 (22%) disfagia de grau moderado e 6 (33%) disfagia de grau grave. Deste total, dos pacientes com doença de base neurológica: 03 (27%) apresentaram grau leve, 03 (27%) apresentaram grau moderado e 05 (46%) pacientes apresentaram grau grave. Já os pacientes acometidos por doença de base não neurológica apresentaram: grau leve 05 pacientes (72%), grau moderado 01  paciente (14%) e grau grave 01 paciente (14%). Conclusão: os dados apontam alta incidência de quadros de disfagia
orofaríngea em pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva e Semi-intensiva, com associação significante entre a presença de disfagia e doença de base neurológica; o grau grave de disfagia orofaríngea foi predominante nas doenças de base neurológica, e o grau leve de disfagia orofaríngea foi predominante nas doenças de base não neurológica.
DESCRITORES: Transtornos de Deglutição; Unidades de Terapia Intensiva; Fonoaudiologia

ACESSE O PERIÓDICO

Anúncios
Este post foi publicado em Dysphagia, Intensive Care em por .

Sobre Graziela Chamarelli Bougo

Fonoaudióloga do Hospital Risoleta Tolentino Neves Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste-PR Aprimoramento em Fonoaudiologia Hospitalar pelo Hospital de Base da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP/SP) Residência em Fonoaudiologia na área de ênfase de Urgência, Emergência e Terapia Intensiva do Hospital Municipal Odilon Behrens de Belo Horizonte (BH/MG)

Uma ideia sobre “Incidëncia de Disfagia em Unidade de Terapia Intensiva de Adultos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s