Fatores de risco para disfunção da deglutição em pacientes com acidente vascular encefálico

Arq. Gastroenterol. vol.49 no.2 São Paulo Apr./June 2012

Anna Flávia Ferraz Barros BaroniI; Soraia Ramos Cabette FábioII; Roberto Oliveira DantasIII

CONTEXTO: Disfagia orofaríngea é consequência frequente do acidente vascular encefálico (AVE).
OBJETIVOS: Avaliar clinicamente a prevalência de alterações da deglutição, analisar os fatores associados com a disfunção e relacionar a presença de dificuldade de deglutição com a mortalidade após 3 meses do acidente vascular em pacientes com AVE.
MÉTODO: A deglutição foi avaliada clinicamente em 212 pacientes consecutivos com diagnóstico médico e radiológico de AVE. Após 3 meses foi verificada a ocorrência de óbito.
RESULTADOS: Entre os pacientes estudados, 63% apresentaram alteração da deglutição. As variáveis gênero e localização específica da lesão não estavam associadas à presença ou não de dificuldade de deglutição. Os pacientes com dificuldade de deglutição tinham: prévios episódios de AVE, AVE no hemisfério esquerdo, alterações motoras e/ou de sensibilidade, alterações na compreensão oral, expressão oral e nível de consciência, complicações como febre e pneumonia, e índices altos na escala de Rankin e baixos na escala de Barthel. Esses pacientes apresentaram maior mortalidade.
CONCLUSÕES: A deglutição deve ser avaliada em todos os pacientes com AVE, considerando que alterações na deglutição

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004-28032012000200005&lang=pt

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s