Arquivo da categoria: Neonatology/ Pediatrics

Avaliação da deglutição em prematuros com mamadeira e copo

López, Claudia Peyres; Chiari, Brasília Maria; Goulart, Ana Lúcia; Furkim, Ana Maria; Guedes, Zelita Cald

CoDAS vol.26 no.1 São Paulo jan./fev. 2014

BEBE MAMADEIRA

RESUMO

Objetivo:

Comparar o desempenho da deglutição com uso de copo e mamadeira em prematuros, na primeira oferta do alimento por via oral.

Métodos:

Estudo em prematuros de muito baixo peso ao nascer, sem comprometimento neurológico, síndromes genéticas ou malformações congênitas. Os recém-nascidos foram avaliados por meio da videofluoroscopia, com uso de copo e mamadeira, quando atingiram idade corrigida ≥34 semanas, peso ≥1.500 g e apresentavam indicação de iniciar alimentação por via oral. Todos receberam alimentação exclusivamente por gavagem no período prévio ao estudo.

Resultados:

Foram avaliados 20 prematuros, com peso médio de 1.356 g e idade gestacional ao nascimento de 31,3 semanas. Grande parte dos recém-nascidos alimentados por mamadeira (68%) apresentou sucção forte e com ritmo e 63% mostraram boa coordenação das funções sucção/deglutição/respiração. A mesma porcentagem de recém-nascidos alimentados pelo copo (68%) não realizou o movimento de sorver e apenas 32% sorveram quantidades mínimas de contraste líquido. Não foram observados sinais de penetração laríngea e aspiração traqueal em ambos os procedimentos.

Conclusão:

Na primeira oferta de alimento por via oral, recém-nascidos prematuros apresentaram melhor desempenho na deglutição com o uso da mamadeira em relação ao copo.

LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA!

Anúncios

Dysphagia in Infants After Open Heart Procedures

Yi SH, Kim SJ, Huh J, Jun TG, Cheon HJ, Kwon JY.

Am J Phys Med Rehabil. 2013 Mar 8

Abstract

OBJECTIVE:

The aims of this study were to evaluate the prevalence and the clinical predictors of dysphagia and to determine the characteristics of videofluoroscopic swallowing study findings in infants after open heart procedures.

DESIGN:

This study is a retrospective review of 146 infants who underwent open heart surgery. The infants with dysphagia were compared with those without dysphagia. The videofluoroscopic swallowing study findings of the infants with dysphagia were also evaluated.

RESULTS:

Of the 146 infants who underwent open heart surgery, 35 (24.0%) had dysphagia symptoms. The infants with dysphagia had lower body weight at operation, more malformation syndromes, longer operation times, and more complex operations than did the infants without dysphagia. In addition, the infants with dysphagia required more time to achieve full oral feeding and had longer hospital stays. Thirty-three infants underwent videofluoroscopic swallowing study: 32 (97.0%) exhibited at least one abnormal finding among the videofluoroscopic swallowing study parameters and 21 (63.6%) exhibited tracheal aspiration.

CONCLUSIONS:

Given the high rate of aspiration in the infants who underwent open heart procedures, monitoring and prompt recognition of the signs and the risk factors of dysphagia may substantially improve infant care with oral feeding and reduce the duration of hospital stays.

ACESSE O PERIÓDICO

Influence of hospital environment on aspects related to breastfeeding

Ana Maria de Oliveira Beck; Karine de Oliveira Assunção; Lisiane de Rosa Barbosa; Erissandra Gomes

Rev. soc. bras. fonoaudiol. vol.17 no.4 São Paulo dez. 2012

ABSTRACT

Purpose: To investigate the influence of hospital environment on aspects related to breastfeeding and communication on the mother/newborn interaction during the breastfeeding process.
METHODS: This consisted on a cross-sectional study composed by 34 dyads: 18 in rooming-in care and 16 in intermediate/medium care units of a public hospital. Each dyad was observed at the time of breastfeeding, and data were analyzed considering the aspects standardized by UNICEF for breastfeeding. Verbal and nonverbal communication modes were observed.
RESULTS: Comparison of variables showed significant associations between hospital environment and the position of the mother in relation to the newborn and mother stimulation and vocalization to the neonate, with favorable percentage for the dyad that was in rooming. The other variables did not differ.
CONCLUSION: Important conditions for the establishment of breastfeeding and communication between mother and newborn are influenced by the location of the dyad, especially the hospital environment.

Keywords: Breast feeding; Communication; Mother-child relations; Rooming-in care; Intensive care units, neonatal

LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA


Influência do ambiente hospitalar nos aspectos relacionados ao aleitamento materno

Ana Maria de Oliveira Beck; Karine de Oliveira Assunção; Lisiane de Rosa Barbosa; Erissandra Gomes

Rev. soc. bras. fonoaudiol. vol.17 no.4 São Paulo dez. 2012

RESUMO

OBJETIVO: Verificar a influência do ambiente hospitalar nos aspectos relacionados ao aleitamento materno e à comunicação na interação mãe/neonato durante o processo da amamentação.
MÉTODOS: Estudo transversal, com 34 díades: 18 internadas em alojamento conjunto e 16 internadas em unidades de cuidados intermediários/médios de um hospital público. Cada díade foi observada no momento da oferta da mamada e os dados foram analisados considerando os aspectos padronizados pela UNICEF para o aleitamento materno. Foi verificada a comunicação verbal e não verbal estabelecida.
RESULTADOS: Na comparação das variáveis estudadas, houve associação significativa para a posição da mãe em relação ao neonato e para as variáveis mãe estimula e mãe vocaliza para o neonato, com percentual favorável para a díade que se encontrava em alojamento conjunto. As demais variáveis não apresentaram diferenças.
CONCLUSÃO: Condições importantes para o estabelecimento da amamentação e da comunicação entre mãe/neonato são influenciadas pelo local onde se encontra a díade, especialmente o ambiente hospitalar.

Descritores: Aleitamento materno; Comunicação; Relações mãe-filho; Alojamento conjunto; Unidades de terapia intensiva neonatal

LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA

Oral and general motor behavior of newborns from crack and/or cocaine using mothers

Marisa Gasparin; Josiele Larger Silveira; Letícia Wolff Garcez; Beatriz Salle Levy

Rev. soc. bras. fonoaudiol. vol.17 no.4 São Paulo dez. 2012

ABSTRACT

PURPOSE: To analyze the oral and general motor behavior of newborns from women that used crack and/or cocaine when pregnant and verify if there is any relationship between the development of the oral and the general sensorimotor systems.
METHODS: Cross-sectional study assessing 25 premature and full-term newborns from women who were crack and/or cocaine users and comparing them to another group composed of 25 newborns without the studied factor. The oral and general sensorimotor systems were evaluated by using the Preterm Infant Oral Feeding Readiness Assessment Instrument and the Test of Infant Motor Performance (TIMP). The results compared scores found in both scales and their relationship to the use of crack and/or cocaine during pregnancy.
RESULTS: No deviation was found by the TIMP when comparing the newborns from crack and/or cocaine-using mothers to the ones from non-using mothers. The results from the Preterm Infant Oral Feeding Readiness Assessment Instrument showed deviations. A relationship between the results from babies who presented a delayed TIMP and a lower score in the Preterm Infant Oral Feeding Readiness Assessment Instrument was observed.
CONCLUSION: The low performance observed in the Preterm Infant Oral Feeding Readiness Assessment Instrument suggests that oral motor responses change with the use of drugs during pregnancy. The correlation between both instruments shows that the development of the oral sensorimotor system can be related to general motor development.

Keywords: Infant, newborn; Infant, premature; Crack cocaine; Psychomotor performance; Stomatognathic system; Child development

LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA

Comportamento motor oral e global de recém-nascidos de mães usuárias de crack e/ou cocaína

Marisa Gasparin; Josiele Larger Silveira; Letícia Wolff Garcez; Beatriz Salle Levy

Rev. soc. bras. fonoaudiol. vol.17 no.4 São Paulo dez. 2012

RESUMO

OBJETIVO: Analisar o comportamento motor oral e global de recém-nascidos de mães que fizeram uso de crack e/ou cocaína durante a gestação e verificar se há relação entre o desenvolvimento dos sistemas sensório motor oral (SSMO) e motor global.
MÉTODOS: Estudo transversal, em que foram avaliados 25 recém-nascidos prematuros e a termo de mães usuárias de crack e/ou cocaína, pareados com outro grupo de 25 recém-nascidos sem o fator em estudo. As avaliações do SSMO e motor global foram realizadas por meio do Instrumento de Avaliação da Prontidão do Prematuro para Início da Alimentação Oral e do Test of Infant Motor Performance (TIMP), respectivamente. Os resultados compararam os escores encontrados nas duas escalas e a relação destes com o uso materno do crack e/ou cocaína durante a gestação.
RESULTADOS: No TIMP não foi constatada diferença na comparação entre os escores de recém-nascidos de mães usuárias de crack e/ou cocaína e os de mães não usuárias. No Instrumento de Avaliação da Prontidão do Prematuro para Início da Alimentação Oral, os resultados apresentaram diferença. Foi observada associação entre os resultados de bebês que apresentaram atraso no TIMP com menor escore no Instrumento de Avaliação da Prontidão do Prematuro para Início da Alimentação Oral.
CONCLUSÃO: O baixo desempenho observado no Instrumento de Avaliação da Prontidão do Prematuro para Início da Alimentação Oral sugere que as respostas motoras orais estão alteradas pelo uso materno das drogas. A correlação entre os dois instrumentos mostra que o desenvolvimento do SSMO pode estar relacionado ao desenvolvimento motor global.

Descritores: Recém-nascido; Prematuro; Cocaína crack; Desempenho psicomotor; Sistema estomatognático; Desenvolvimento infantil

LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA

Efetividade da intervenção fonoaudiológica no tempo de alta hospitalar do recém-nascido pré-termo

COSTA, Cristiane Nogueira et al.

Rev. CEFAC [online]. 2007, vol.9, n.1, pp. 72-78.

OBJETIVO: verificar a efetividade da intervenção fonoaudiológica na diminuição do tempo de alta hospitalar do recém nascido pré-termo. MÉTODOS: coleta de dados em 96 prontuários de recém-nascidos hospitalizados no Berçário Intermediário (BI) da Maternidade Marly Sarney no ano de 2000 a 2002 quando não havia atendimento fonoaudiológico e no ano de 2002 a 2004 quando ocorreu a implantação dos serviços fonoaudiológicos. RESULTADOS: os recém-nascidos que tiveram intervenção fonoaudiológica tiveram o tempo de internação mais curto do que os que não receberam. Os que receberam: 88% de 1 a 10 dias, 8% de 11 a 20 dias, 2% de 41 a 50 dias e 2% de 61 a 70 dias. Os que não receberam: 47,9% de 1 a 10 dias, 17,7% de 11 a 20 dias, 10,4% de 21 a 30 dias, 9,4% de 31 a 40 dias, 9,4% de 41 a 50 dias, 3,1% de 51 a 60 dias e 2,1% de 61 a 70 dias. Esse aspecto foi estatisticamente significante (p-valor < 0.000). CONCLUSÃO: os dados obtidos apontam para a efetividade da intervenção fonoaudiológica em recém-nascidos pré-termos. Houve associação entre menor tempo de internação hospitalar e presença de intervenção fonoaudiológica.

Palavras-chave : Recém-Nascido; Prematuro; Fonoterapia.

LEIA O ARTIGO NA ÍNTEGRA